Concelho de Murça

O concelho de Murça é formado por nove freguesias que se distribuem por uma área de 171,16 quilómetros quadrados, situada em pleno centro geográfico da Região de Trás-os-Montes e Alto Douro e rodeado pelos municípios de Valpaços, Mirandela, Carrazeda de Ansiães, Alijó, Sabrosa e Vila Pouca de Aguiar.

A História deste concelho é uma longa viagem que começa há muitas centenas de milhares de anos no paleolítico (vestígios com cerca de 500.000 anos encontrados em Noura). Desde essa época, o seu território foi povoado por diversos povos. Há registos arqueológicos do mesolítico (Noura), do neolítico (Candedo e Jou), e do bronze (Jou, Murça e Fiolhoso). Da época castreja existem povoados muralhados, ou o que deles resta, na maior parte das freguesias. Um deles, o de Palheiros, deve mesmo remontar ao calcolítico, sendo assim o mais antigo que se conhece a norte do Douro. A partir do século II antes de Cristo chegaram os romanos que fundaram as célebres "villas" rurais, núcleos de alguns dos actuais povoados. Além de troços de estrada e pontes deixaram variados testemunhos da sua presença.

São muitos os pontos de interesse capazes de atrair visitantes: a beleza paisagística das serras da Garraia, de S. Domingos e do Crasto; as vistas multiformes e multicores que se podem usufruir do Morro de S. Domingos, do Miradouro das Curvas e do Alto do Barroco; o bucolismo do Tinhela e da Mata; a excelência do descanso termal das Caldas de Santa Maria Madalena; as igrejas, capelas, solares, pontes, cruzeiros e fontes; o artesanato; as feiras (Murça e Fiolhoso), as festas e as romarias; a caça (coelho e perdiz); o desporto motorizado (Rampa da Porca de Murça, Rally Vila de Murça); e a gastronomia, onde sobressaem os enchidos. Além disso, há o cabrito, o cozido, o bacalhau e a doçaria, em que pontificam as queijadas, o toucinho-do-céu, as cavacas e o pão-de-ló.

O acesso via IP4 teve grande impacto a todos os níveis: social, cultural e económico, que se julga ser estimulado pela construção da futura A4, entre Vila Real e Bragança. Começam a ser visíveis os frutos, notando-se já uma dinamização da economia murcense. A aproximação aos mercados nacionais e internacionais veio contribuir decisivamente para a dinâmica do tecido empresarial do concelho, ao qual veio trazer novo fôlego a construção de uma zona industrial junto ao IP4 que criará novos postos de trabalho e produzirá riqueza. Murça é um concelho em plena mudança e esse movimento é bem patente tanto na vila como nas restantes freguesias
.